quinta-feira, 13 de setembro de 2012


::21/01 - Atletas de fim de semana

Atletas de fim de semana
Acompanhamento médico, alongamento e fortalecimento muscular são imprescindíveis para evitar problemas na prática esportiva. 

Muitas pessoas passam grande parte do dia em escritórios, dirigindo ou desenvolvendo outras atividades de forma sedentária, e o único tempo dedicado aos esportes são os finais de semana. O ortopedista, Paulo Santoro Belangero, da Beneficência Portuguesa de São Paulo, chama a atenção das pessoas que praticam atividades físicas de maneira esporádica, sem acompanhamento de um profissional. De acordo com o especialista, esse grupo de indivíduos está mais sujeito a sofrer lesões musculares. "Os atletas eventuais fazem exercícios sem o devido preparo. A falta de condicionamento causa desequilíbrios musculares e contusões durante a prática esportiva", afirma.

Quem não pratica atividade física regular e com supervisão profissional deve ficar atento aos sintomas apresentados pelo corpo. São sinais que indicam a necessidade de se exercitar com moderação, sempre respeitando as particularidades físicas de cada pessoa. Dores excessivas em determinados grupos musculares fadiga, apatia, distúrbios alimentares e alterações no sono são os principais indícios de que há algo errado com o treinamento. "Quando o esportista tem algum desses sinais é preciso ter atenção, reduzir o ritmo e procurar a orientação de um profissional", afirma o ortopedista.

O médico também chama a atenção para a importância de exercícios de alongamento. "O alongamento deve ser feito corretamente e sem pressa. Antes e depois de uma atividade física, reduzindo as chances de lesões. Não podemos esquecer que a utilização de equipamentos adequados também é fundamental para a prática correta de qualquer esporte", afirma Belangero.

Uma alimentação balanceada e adequada também é muito importante na prevenção de lesões. Durante a prática esportiva são consumidas as reservas de açúcar (glicogênio) e outros nutrientes. Uma alimentação rica em carboidratos, por exemplo, será responsável pela reposição do glicogênio muscular. Quando não há boa quantidade dessa substância no organismo, o músculo torna-se fraco e cansado, ficando mais propenso a lesões.

Os limites são individuais e variam de acordo com a genética de cada um e com o tipo de atividade física praticada. No entanto, o especialista ressalta que o marcador mais importante para a realização correta de exercícios deve ser sempre o bem-estar do praticante de esportes, que deve sentir prazer e não desconforto e sofrimento quando pratica atividade física.


.

Em foco
ComentáriosTamanho da letra:
06 DE SETEMBRO DE 2012

CORRER PREVINE E COMBATE A OSTEOPOROSE

Os impactos ao longo das passadas estimulam a consolidação do cálcio nos ossos, favorecendo seu fortalecimento...

Portal Terra

CORRER PREVINE E COMBATE A OSTEOPOROSE
Ilustração
Os impactos da corrida estimulam a consolidação do cálcio nos ossos, fortalecendo-os e protegendo-os contra a osteoporose. "Durante o exercício, com a contração da musculatura, ocorre uma deformação interpretada pelo osso como um estímulo à sua formação", explica Paulo Belangero, ortopedista e traumatologista do esporte, do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). E isso ajuda a prevenir o desenvolvimento da osteoporose, distúrbio caracterizado pela diminuição da densidade mineral óssea, que leva a um aumento da fragilidade esquelética e do risco de fraturas.

O problema costuma ocorrer em pessoas acima dos 50 anos e atinge mais o sexo feminino. De acordo com Belangero, nessa faixa etária, 30% das mulheres e 13% dos homens poderão sofrer algum tipo de fratura por osteoporose e, assim como uma boa alimentação e adequada exposição ao sol, a atividade física é bastante importante para a prevenção. Mas os treinos têm suas doses certas. O ideal é programar pelo menos três sessões de 30 minutos por semana, em dias alternados. "Exercícios mais leves podem ser realizados diariamente, enquanto os mais intensos precisam de um intervalo entre 24h e 48h", orienta o ortopedista. "Isso porque os impactos sobre os ossos são benéficos, porém, os impactos seriados, sem o tempo adequado para recuperação, provocam um desgaste excessivo nas estruturas ósseas", completa Gustavo Magliocca, médico do esporte da Run&Care, de São Paulo (SP).

Magliocca ainda destaca outra vantagem da prática de corrida: "Como é um esporte realizado muitas vezes ao ar livre, favorece a exposição ao sol, importante para a produção de vitamina D e, consequentemente, para a absorção do cálcio". Porém, caso a pessoa já apresente sinais de osteopenia (precursora da osteoporose) ou mesmo osteoporose, ele reforça que é essencial fazer um treinamento de fortalecimento muscular. "Se os ossos estão fragilizados, precisam ser protegidos. Essa proteção é oferecida pelos músculos", diz.

Detectar o problema não é simples, pois se trata de uma doença silenciosa, que não apresenta indícios evidentes − muitas vezes o primeiro sintoma é a própria fratura. O diagnóstico é feito apenas a partir de exames de densitometria óssea, que devem ser realizados principalmente em mulheres acima de 40 anos que passam pelo climatério (período de transição entre a fase reprodutiva e não reprodutiva, ou seja, menopausa). Avaliações periódicas também são indicadas para corredores que buscam alto rendimento e se submetem a um alto volume e intensidade de treinos.


 
 

Após corridas intensas, aplique gelo mesmo sem sentir dor
09 de agosto de 2012  09h20

Indicado após os longões e os treinos de alta intensidade, o gelo possui efeito anti-inflamatório, contribuindo para diminuir os efeitos das .... Foto: Shutterstock
Indicado após os longões e os treinos de alta intensidade, o gelo possui efeito anti-inflamatório, contribuindo para diminuir os efeitos das microlesões causadas durante a corrida
Foto: Shutterstock
"O gelo é o principal aliado no tratamento das lesões ortopédicas, tem poucos efeitos colaterais e conta com ótima ação local", defende Paulo Belangero, ortopedista e traumatologista do esporte, do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Porém, ele não aconselha usar o recurso como uma rotina depois de qualquer sessão de corrida.

O gelo possui efeito anti-inflamatório, contribuindo para diminuir os efeitos das microlesões causadas nos treinos. Mas isso é mais eficiente após um treino pesado, como um longão ou intervalado de alta intensidade.

"O gelo pode ser usado como um importante aliado após corridas de alta intensidade, nos quais haja uma demanda muscular além do habitual", explica. Nesses tipos de treino ou competição, o corredor pode aplicar gelo mesmo antes de sentir dor. "A função é a de prevenir lesões ou pelo menos diminuir a intensidade das microlesões causadas pelo exercício", diz.

O indicado é utilizar a técnica de modo intermitente, em ciclos de cerca de 10 minutos. Ao prolongar demais as aplicações, o corredor pode sofrer com queimaduras provocadas pelo frio ou ainda lesões nervosas. Mas esses dois problemas são raros se o uso for realizado da maneira correta.

Roda Livre
Especial para o Terra

 
 

Sete erros posturais prejudicam a performance do corredor
28 de agosto de 2012  09h31

A postura errada, além de reduzir o rendimento na corrida, pode levar a uma série de dores e lesões. Confira a seguir os erros mais comuns. Foto: Shutterstock
A postura errada, além de reduzir o rendimento na corrida, pode levar a uma série de dores e lesões. Confira a seguir os erros mais comuns
Foto: Shutterstock
Manter uma postura errada durante a corrida prejudica o desempenho e pode levar a uma série de dores e lesões. O ideal é sustentar o tronco ligeiramente inclinado para a frente, a cabeça centrada e os braços agindo como pêndulos ao lado do corpo, com os cotovelos flexionados em 90°. "As mãos devem permanecer semicerradas e o indicado é evitar a rotação lateral do tronco", orienta Paulo Belangero, ortopedista e traumatologista do esporte, do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Confira a seguir os erros mais comuns entre os corredores.

1. Exagerar nos movimentos. "A corrida é um esporte que exige velocidade e economia de energia. Portanto, a pessoa precisa saber que todo gesto realizado desnecessariamente repercutirá na performance", ressalta Belangero.

2. Olhar para baixo e curvar-se muito à frente. Pode causar uma cifose (curvatura para a frente) na coluna dorsal, provocando dores na lombar e na região cervical (pescoço).

3. Inclinar o corpo para trás durante a corrida. O hábito pode levar a uma lordose (aumento da curvatura) da coluna, desperdiçando energia nas passadas e favorecendo dores nas costas, contraturas e torcicolos.

4. Ter músculos glúteos fracos, seja por excesso de treino ou por falta de fortalecimento adequado da região. "Nesses casos, a bacia pode pender de um lado para o outro além do normal, provocando escoliose desvio da coluna e dores na bacia e na coluna", alerta Henrique Cabrita, médico do esporte especialista ortopedia e cirurgia de quadril do Instituto Vita, de São Paulo (SP).

5. Correr em terrenos lateralmente inclinados, como beiras de estrada ou praias de tombo, inclinando a coluna e sobrecarregando a musculatura das costas e das pernas. Pode provocar inflamações na região dos quadris, como uma tendinite na banda iliotibial (faixa de fibras que ligam a bacia ao joelho).

6. Correr com os ombros fechados, ou seja, em rotação interna. "Isso dificulta a respiração, em especial a inspiração", aponta Cabrita.

7. Girar em excesso os pés, tanto para dentro como para fora, sobrecarregando joelhos e tornozelos.

Para manter uma boa postura é fundamental realizar exercícios educativos e alongamentos. "Mas, de qualquer forma, é preciso lembrar que cada corredor tem uma postura particular para o esporte que, mesmo com pequenos desvios do habitual, pode ser adequada para ele e não necessariamente levará a lesões", pondera Cabrita. O importante é lembrar que nunca será normal que a corrida desencadeie dores na coluna, seja durante ou após os treinos.

Roda Livre
Especial para o Terra
ok, agora sim, tudo pronto pra embarcar amanha as 16h!!

segunda-feira, 10 de setembro de 2012